Entrevista -Imagem do Som



Em entrevista á Imagem do som Lúcia Moniz falou do seu novo trabalho.

Em entrevista…..

Boa noite Lúcia, quanto tempo sem gravar um disco?

Pois, já lá vão quase 7 anos, o ultimo disco que editei foi pouco depois da minha filha nascer… quase 7 aninhos.

Ao que sabe este disco?

Bem… sabe a um mater saudades de compor musicas, interpreta-las e partilhá-las, foram 6/7 anos que passaram mesmo, mesmo, mesmo a correr porque nem me apercebi muito bem do tempo a passar, acho que todos nós á medida que vamos envelhecendo, o tempo passa cada vez mais rápido e eu fui-me apercebendo disso com a insistência das pessoas que me abordavam na rua e me diziam….

-Então e a musica? Então, Então??

-Entao e um álbum?? para quando?

Depois quando puz os pés na terra pensei… espera lá, isto já faz alguns anos que passaram a correr e achei que fazia sentido voltar porque também comecei a perceber… espera lá então é por isto que tenho tantas saudades de estar em palco, e porque realmente passou muito tempo, e todas estas coisas deram-me o impulso de voltar a compor e agora finalmente cá está!!!

O que é que este “Fio de luz” tem de si?

Este “Fio de luz” diz de mim… eu acho que … tento sempre ser positiva, tento sempre ver o lado positivo das coisas mesmo quando ele é muito negro, tento ver onde é que posso dar a volta, onde é que posso melhorar, e mesmo quando o cenário é totalmente escuro, pensar que haverá uma bonança depois, e embora acredite nisso quis transmitir um bocadinho isso na musica e também nas letras que encomendei aos outros autores e foi muito engraçado transmitir esta mensagem da minha forma de pensar e que depois percebi que tinha ido buscar as pessoas certas que pensam da mesma forma e que todos agimos para e com a mesma intenção.

E onde é que a Catarina Furtado entra ai?

A Catarina… já tenho uma admiração por ela desde que ela esta neste campo profissional. Eu lembro-me de ser fã da Catarina e que depois de conhece-la tornamo-nos mais cúmplices por conversar em eventos que havia de espectáculos que ela apresentava ás vezes cruzávamos-nos e conversávamos um bocadinho e ali foi crescendo uma amizade muito engraçada, eu até posso quase dizer que somos uma espécie de penfriends, porque nos contactamos por email…(risos)… SÓ!!!

Mas é uma amizade muito, muito gira… houve essa partilha de conversas e a determinada altura eu senti que gostava que ela fosse autora de uma das minhas letras, também por ser autora de letras de outras canções que também admiro e que gosto muito do estilo dela, então abordei-a com esse objectivo e aconteceu.

E na ante-estreia do seu trabalho sabe bem ter uma plateia repleta de amigos, foi o primeiro concerto da Júlia?

Bem!!! Foi assim… a Júlia adormeceu!!! (risos)… vou ver isso como um bom sinal…( Risos), é uma coisa positiva pronto! Consegui embalá-la…

Eu acho sinceramente que ela está é farta de ouvir isto!!! Ela já ouviu tantas vezes, nas fazes de maquete, nas fazes das misturas, na fase da gravação… ela ouvia isto constantemente comigo no carro… por isso ela sabe tudo de cor.

E a presença da sua mãe Lúcia ?

A presença da minha mãe é… agente sabe que está ali um brilhozinho nos olhos… mesmo que não a consiga ver, eu sei que lá está…

Começar em Sintra tem um significado especial?

Quer dizer é uma sala onde tenho uma honra muito grande de fazer um espectáculo, uma sala que tem grande reputação e que me faz sentir em casa.

E próximos concertos?

Alguns estão ainda por confirmar, mas 7 estão garantidamente agendados.

Lucia muito obrigado pela sua simpatia votos de muitas felicidades e de muito sucesso com este novo trabalho.

Obrigado


Fonte:Imagem do Som
1 comentário