terça-feira

"Trabalhar pro bono foi a nossa forma de colaborar com a causa"








Depois do enorme sucesso em 2003, "Love Actually - O Amor Acontece" regressa, desta vez, no pequeno ecrã. Lúcia Moniz voltou a vestir a pele de Aurélia e garante que a sua personagem está "feliz, mais sofisticada e fala melhor inglês"


14 anos depois, a atriz portuguesa volta a interpretar Aurélia para uma curta sequela de uma das comédias românticas mais populares do grande ecrã. A continuação do filme "Love Actually - O Amor Acontece" vai durar apenas 10 minutos e será exibida na televisão britânica, a propósito do evento anual de angariação de fundos Red Nose Day.

O convite para participar na curta-metragem foi uma surpresa para Lúcia Moniz. "Não estava à espera, embora a esperança nunca acaba", admitiu ao nosso jornal. "O autor do filme [Richard Curtis], que é o fundador da instituição Comic Relief [organizadora do evento], achou que seria muito oportuno fazer este reunião dos atores", justificou.


A atriz viajou até a capital britânica durante "três dias" para gravar a sua participação. "Em 10 minutos, apareço em dois. Foi um dia inteiro a gravar e foi repetir a cena várias vezes". "Foi ótimo reencontra-me com Colin Firth, Richard Curtis e a mulher, Emma Freud", recordou.



Para esta ocasião especial, tanto a equipa técnica como os atores aceitaram colaborar de forma gratuita. "O grande bónus foi reencontrar pessoas da equipa técnica que também tinha feito o filme e que estavam a trabalhar pro bono, aliás como todos nós. Foi a nossa forma de colaborar com a causa e foi muito bonito ver uma equipa gigante e de grande profissionais envolvidos no projeto", contou.


"Muito feliz" pela continuidade do filme, Lúcia Moniz não lamenta que este tenha apenas 10 minutos de duração. O reencontro, segundo a atriz, provocou uma nostalgia entre atores e equipa técnica. "Comentou-se a vontade de fazer uma sequela com o tempo merecido, mas não é nada garantido. É só um desejo que eu vou pôr na minha lista do Pai Natal", disse, entre risos.


A intérprete portuguesa voltou a contracenar com Colin Firth de quem diz ser "ótimo ator, um gentlemen e um ótimo colega". Sem adiantar pormenores sobre a trama que vai mostrar como está a vida das personagens 14 anos, Lúcia Moniz antecipa apenas que o público poderá ver a Aurélia "feliz, um bocadinho mais sofisticada e a falar melhor inglês".



A continuação de "O Amor Acontece" vai ser exibida na BBC One a propósito do evento anual de angariação de fundos Red Nose Day, da organização de solidariedade Comic Relief, no próximo dia 24, e contará com as participações de parte do elenco original: Liam Neeson, Thomas Brodie-Sangster, Hugh Grant, Martine McCutcheon, Keira Knightley, Andrew Lincoln, Colin Firth, Bill Nighy, Marcus Brigstocke, Olivia Olson, Rowan Atkinson e, claro, Lúcia Moniz.



Fotos bastidores da sequela "Love Actually 2"




Mais fotos clicar » Fotos bastidores

O encanto dos Açores segundo Lúcia Moniz e Carolina Torres






A convite do Turismo dos Açores, Lúcia Moniz e Carolina Torres marcaram ontem presença no centro comercial Vasco da Gama, em Lisboa, para uma sessão de autógrafos. Vários admiradores e transeuntes tiveram a oportunidade de conhecer, de perto, duas das atrizes que integram o elenco da nova novela da SIC, ‘Espelho d’Água’.

Filha de pai açoriano, Lúcia Moniz afirma ter uma relação especial com este arquipélago. “O meu sangue é 100 por cento açoriano”, disse ao Delas.pt. A filha Júlia, fruto do seu relacionamento com o músico Donovan Bettencourt, nasceu na Terceira. “Fiz questão que ela nascesse lá, pelo facto de ser um regresso às raízes e simbolicamente seria algo bonito tanto para mim, como para o pai dela que também tem lá família “, explicou Moniz, que passou os últimos 3 meses de gravidez na sua terra natal para se afastar da “confusão” de Lisboa para desfrutar “do mar, das belas caminhadas, do verde e do ar puro”.

A cantora afirmou, ainda, que a filha, atualmente com 13 anos de idade, não abdica de visitar o arquipélago. “Ela todos os anos quer ir aos Açores. Insiste em estarmos o mais tempo possível. O ano passado tive a sorte de ter 20 dias de férias e ela disse-me logo: ‘Os 20 dias são todos nos Açores'”. “Ela sente-se tanto parte daquilo que me pediu recentemente para passar um fim de semana na ilha Terceira”.

Moniz prossegue. “Para mim é a terra mais linda do mundo”. “Conheço muita gente que vai lá uma vez para conhecer e depois não consegue largar. Ao ponto de comprarem casa”, diz. Para além da relação afetiva, a atriz destaca as paisagens e a gastronomia: “Ia ter que fazer muito sacrifício para tentar não ingerir aquelas comidas maravilhosas. Engordo sempre mais dois ou três quilos sempre que vou lá”.

Depois da sua participação na novela ‘Coração D’Ouro’, onde também gravou cenas nos Açores, Lúcia Moniz regressa à ficção da SIC, em ‘Espelho d’Água’, na qual interpreta Carmo Goulart, uma mulher que vem de uma família de São Miguel, herdeira de uma plantação de chás e que se apaixona por homem do continente, mas sofre um desgosto amoroso. A atriz deve deslocar-se até aos Açores “no início do mês de abril” para gravar as primeira cenas. “Para preparar-me para esta personagem fui pedir ajuda a alguns amigos psicólogos, porque gosto de abordar a personalidade da personagem e ir para além do que está à superfície. […] O resto foi tentar trazer, naturalmente, o orgulho que tenho pela terra e pelos produtos da mesma”. Para trabalhar o sotaque, Lúcia Moniz recorreu à ajuda do ator Miguel Damião, natural de São Miguel.

Do seu lado, Carolina Torres, reconhece não ser a primeira vez que visita os Açores. “Fui substituir, à última hora, uma pessoa que não pôde estar presente e foi muito bom. Diverti-me muito. As pessoas foram muito simpáticas. As pessoas dos Açores sabem como receber”, explicou a ex-concorrente de ‘A Tua Cara Não Me É Estranha’ que aproveitou a oportunidade para conhecer São Miguel e a Terceira.

Em ‘Espelho d’Água’, Carolina Torres tem em mãos o seu primeiro grande desafio na representação. Vai interpretar Inês, uma designer natural de São Miguel. Para encarnar esta personagem, a atriz teve de mudar radicalmente de visual. Um “choque”, segundo a própria. “Passei duas semanas sem tirar fotografias”. “Tenho amigos que me dizem que me fica mal, outros dizem que fica bem, mas o que importa neste momento é que estou fora da minha zona de conforto”, destacou Torres que agora se sente mais familiarizada com o novo corte de cabelo.


A atriz reconhece, ainda, a importância de descentralizar as produções. “O facto de estarmos a envolver os Açores e Ílhavo é muito bom. Durante muito tempo achei que a televisão era muito feita de Lisboa para Lisboa e o nosso país não é só Lisboa. É importante mostrar outras partes do nosso país”, rematou.

Fonte: Delas

Pirilampo Mágico 1998 (audio)

Revista Telenovelas 1000 edições


Ela volta a ser Aurélia - Revista Sábado