sábado

Risorius – Festival de Humor e Arte está de regresso a Albergaria-a-Velha




Ricardo Araújo Pereira, Fernando Rocha, Eduardo Madeira e Manuel Marques são alguns dos artistas presentes na edição deste ano, a quinta, que continua a ter o Albergariense Carlos Vidal como mestre de cerimónias.


Exposições, filmes, conversas, oficinas, teatro, stand-up comedy e humor, muito humor, estão de volta ao Cineteatro Alba, com uma passagem pela Biblioteca Municipal, nos últimos dias do mês, entre 26 e 29 de janeiro.
O Risorius começou em 2012, em sessões de stand-up comedy como “Sketches de Porco Preto”, no Espaço Café-Concerto, evoluindo depois para um evento cultural mais alargado e abrangente,

envolvendo oficinas, exposições, atingindo um público mais vasto, que vai desde os adolescentes até adultos informados e atentos à realidade da nossa sociedade. Convém avisar que todos os espetáculos são para maiores de 16 anos.

O Festival de Humor e Arte, que adotou o nome Risorius em 2015, trouxe a Albergaria os nomes mais influentes da comédia nacional. Luís Filipe Borges, António Raminhos, Luís Franco-Bastos, Miguel 7 Estacas, Hugo Sousa, João Seabra, Eduardo Madeira, Aldo Lima, Guilherme Fonseca, Salvador Martinha, Manuel João Vieira, Tino de Rans, Vasco Palmeirim, Nuno Marckl, Quim Roscas e Zeca Estacionâncio e Serafim são algumas das personalidades ou personagens que já passaram pelo palco do Cineteatro Alba. O inevitável Carlos Vidal, que faz dupla com Diogo Miguel nos “Sketches de Porco Preto”, estiveram sempre em cena desde a primeira edição, e trouxeram alguns convidados surpresa, que só foram apresentados durante os espetáculos, como Nel Monteiro e Toy.

O 5.º Festival de Humor e Arte – Risorius começa no dia 26 de janeiro, com a abertura da exposição “Bocage Malcriado”, que apresenta desenhos do artista plástico Manuel João Vieira.

Não está ainda confirmada a presença do artista. A exposição está patente ao público no Cineteatro Alba até ao dia 31 de março. O prato forte chega às 21h30, na Sala principal, com a dupla que tem feito sucesso no canal público de televisão RTP, Eduardo Madeira, um repetente no Risorius, e o humorista e ator Manuel Marques, uma estreia no festival.

No dia seguinte, 27 de janeiro, o fotógrafo Valter Vinagre inaugura a exposição “Posto de Trabalho”, na Biblioteca Municipal (18h00), e dirige o workshop “O que queremos ver quando olhamos” (19h00).

Natural de Avelãs de Caminho, Anadia, Valter Vinagre estudou fotografia no AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual, em Lisboa, iniciando o seu percurso artístico em finais dos anos 1980. Está representado nos Encontros da Imagem, em Braga, no Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa, na Fototeca Nacional de Cuba, em Havana, no Festival de l’Image Ville du Mans, em França, no Instituto Camões, em Lisboa, no Musée de la Photographie – Charleroi, na Bélgica, na Colecção Nacional de Fotografia, do Centro Português de Fotografia, no Porto, na BES Art Collection, do antigo Banco Espírito Santo, e na Fundação EDP. “Posto de Trabalho” é um conjunto de fotografias, sem pessoas, que obrigam à reflexão, ao mostrar, nas palavras do autor, “a prática de prostituição numa das suas vertentes – talvez a mais dura, perigosa e menos digna para as suas trabalhadoras e clientes”.

Mas o momento alto dessa sexta-feira, 27, no Risorius – que vai também obrigar à reflexão –chega-nos às 21h30, na Sala Principal do Cineteatro Alba, com “Isto é um suponhamos”. Carlos Vidal vai conversar com Ricardo Araújo Pereira (RAP), com o Padre Mário de Oliveira e com a escritora Rita Ferro. RAP dispensa apresentações, foi um dos fundadores do “Gato Fedorento”, quarteto humorístico que provocou um terramoto no humor nacional, que nunca mais foi o mesmo desde que estrearam os seus sketches na SIC Radical, em 2003. Participa atualmente no talk show “Governo Sombra”, emitido na rádio TSF e TVI24. Mário de Oliveira foi pároco de Macieira da Lixa, em Lourosa, antes da instauração da Democracia, sendo um crítico do regime.

Foi perseguido pela PIDE, tendo sido julgado duas vezes em Tribunal Plenário, acabando por perder a paróquia. Em 1999, lançou o livro “Fátima nunca mais”, criticando a Igreja Católica e procurando desfazer o mito das aparições. Rita Ferro é filha do escritor e ensaísta António Quadros e neta de António Ferro, o diretor da mítica revista futurista “Orpheu” e diretor do Secretariado da Propaganda Nacional, durante a ditadura de Salazar. Tem cerca de 30 livros publicados, sobretudo literatura de ficção, o último em 2016, o romance histórico sobre o avô “António Ferro – Um Homem por Amar”. É presença habitual no programa “Conversa de Raparigas”, da Antena 3.

“Isto é um suponhamos” promete ser um debate aliciante sobre política, religião, história com muito humor.

No sábado, dia 28, às 21h30, o Risorius retoma o registo stand-up comedy puro e duro, na Sala Principal do Cineteatro Alba. Ou talvez não. Carlos Vidal apresenta-se em palco com Fernando Rocha, Miguel 7 Estacas e Rui Xará, num registo que se situa entre o teatro, os efeitos especiais, a brejeirice e o humor mais singelo. Nos últimos dois anos houve convidados surpresa, este ano tudo pode acontecer.

No domingo, dia 29, às 17h30, é a vez do cinema, com a apresentação do filme “Refrigerantes e Canções de Amor”, realizado por Luís Galvão Teles. O realizador, o produtor João Fonseca e o ator Ruy de Carvalho vão estar presentes no início da apresentação para uma conversa com o público.

“Refrigerantes...” é apresentado como uma comédia musical, foi escrito por Nuno Markl e tem um elenco de qualidade e inusitado: Ivo Canelas, Victoria Guerra, Lúcia Moniz, João Tempera, Ruy de Carvalho, André Nunes, Gregório Duvivier, Marco Delgado, Sérgio Godinho e Jorge Palma.

Os bilhetes para o Risorius – 5.º Festival de Humor e Arte de Albergaria-a-Velha variam entre três e oito euros; com os descontos habituais para os detentores de Cartão Amigo, Cartão Sénior Municipal, Cartão Municipal de Voluntário e Jovens SUB 23, variam entre dois e cinco euros. As exposições são de acesso livre e o workshop de fotografia com Valter Vinagre é gratuito, mas limitado a 20 participantes. Está disponível serviço de babysitting gratuito na quinta-feira, sexta-feira e sábado. O Risorius – Festival de Humor e Arte é organizado e produzido pelo Município de Albergaria-a-Velha.

Fonte: E-Cultura

Lúcia Moniz nomeada para as Personalidades do Ano 2016 LUX


A Lux escolheu 13 categorias e o júri nomeou três personalidades femininas em cada uma das áreas. Existirá apenas uma vencedora por cada categoria e essa votação será feita por si, via telefone ou através do site Lux.pt.

Vote entre os dias 20 de janeiro e 1 de fevereiro (até às 18h) e eleja a sua personalidade preferida!

As vencedoras serão conhecidas no dia 10 de fevereiro, na edição n.º 876 da revista Lux e em Lux.pt.

Pode também votar por telefone: a cada nomeada corresponde um número de 01 a 39. Para votar na nomeada correspondente à sua escolha, ligue 760 108 001 e siga as instruções da operadora. Custo de participação: 0,60 euros (mais IVA).

Fonte: LUX

Mimosa Making Of

LÚCIA MONIZ SURGE "BIPOLAR" EM PALCO

A Nova Gente foi assistir ao musical "Quase Normal", onde Lúcia Moniz surge bipolar ao lado de Mariana Pacheco, Henrique Feist, entre outros.





Quase Normal é o musical em exibição no Auditório do Casino Estoril. Com encenação de Henrique Feist e direção musical de Nuno Feist, o elenco é composto por Lúcia Moniz, Mariana Pacheco, Diogo Leite, Valter Mira e André Lourenço. Henrique Feist, além de encenador é também uma das peças chaves desta peça, sendo o marido de Lúcia Moniz, que retrata uma mulher com bipolaridade.

Um musical que vai desde a comédia ao drama e que estreou em 2008 em Off-Broadway, com o título Next To Normal. Venceu o prémio dos Outer Critic's Circle Award para Best Score (Melhor Partitura). Entre diversas nomeações, foi selecionado para 11 Tonys, vencendo três. Uma das suas maiores distinções foi o Prémio Pulitzer para Drama, em 2010, sendo o oitavo musical de sempre a receber esta honra.

A Nova Gente viajou pelos bastidores do musical e falou com o elenco. Saiba todos os pormenores no vídeo que lhe apresentamos.


Fonte: Nova Gente

Fotos Antigas

Grande Aposta RTP (1997)


Terra Mãe RTP (1998)


Fonte: Facebook Terra Mãe e Grande Aposta Facebook

quarta-feira

“Verdade ou Consequência”: Novo nome confirmado na nova novela da SIC

Verdade ou Consequência
Lúcia Moniz vai estar em “Verdade ou Consequência”


Com estreia prevista para maio, Gabriela Sobral já está a fechar o elenco de “Verdade ou Consequência” que vai ocupar o lugar deixado vago por “Rainha das Flores”.


Lúcia Moniz que esteve em “Coração D’Ouro” é o mais recente reforço neste elenco que ainda continua guardado a sete chaves.



“Verdade ou Consequência” vai ter Mariana Pacheco no papel de protagonista, depois de ter antagonizado também “Coração D’Ouro” na pele de Catarina.


Luciana Abreu e Bárbara Norton de Matos são outros nomes já garantidos nesta nova produção da SIC.


Lúcia Moniz estreou-se em novelas, na RTP1, com “A Grande Aposta” onde deu vida a gémeas. Depois de uma temporada na estação pública, integra a ficção da TVI com “Saber Amar”.


Em 2007 protagonizou “Vingança” ao lado de Diogo Morgado e Paulo Rocha, tendo conquistado a crítica.


Recentemente foi um dos destaques em “Coração D’Ouro”, ao lado de Vitor Gonçalves e Maria João Bastos.


Fonte: Zapping