sábado

CinEuphoria Prémios 2017 - Competição Nacional: os nomeados

Competição Nacional
.
Melhor Filme

Campo de Víboras, de Cristèle Alves Meira (real.) e Gaëlle Mareschi, Pandora da Cunha Telles e Pablo Iraola (prods.)
Cartas da Guerra, de Ivo M. Ferreira (real.) e Sandro Aguilar e Luís Urbano (prods.)
Chatear-me-ia Morrer Tão Joveeeem..., de Filipe Abranches (real.) e Nuno Amorim (prod.)
Cinzento e Negro, de Luís Filipe Rocha (real.) e Luís Galvão Teles e João Fonseca (prods.)
Estive em Lisboa e Lembrei de Você, de José Barahona (real.) e Carolina Dias e Fernando Vendrell (prods.)
A Estrada 47, de Vicente Ferraz (real.) e Joana Mariani, Matias Mariani, Isabel Martínez, Daniele Mazzocca e Leonel Vieira (prods.)
Offline, de Guilherme Trindade (real.) e Maria Magalhães e Ivone M. Rodrigues (prods.)
O Ornitólogo, de João Pedro Rodrigues (real.) e João Figueiras e Diogo Varela Silva (prods.)
Posto Avançado do Progresso, de Hugo Vieira da Silva (real.) e Paulo Branco (prod.)
Treblinka, de Sérgio Tréfaut
Zeus, de Paulo Filipe Monteiro (real.) e Pedro Bento (prod.)
.
Melhor Documentário
Balada de um Batráquio, de Leonor Teles
Eldorado, de Rui Eduardo Abreu, Thierry Besseling e Loïc Tanson
Manuel, de Bruno Carnide
O Meu Amigo Manuel, de Ricardo Franco
Mudar de Vida - José Mário Branco, Vida e Obra, de Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo
Olmo e a Gaivota, de Petra Costa e Lea Glob
Phil Mendrix, de Paulo Abreu
Il Suo Nome, de Pedro Lino
Treblinka, de Sérgio Tréfaut
A Um Mar de Distância, de Pedro Magano
.
Melhor Filme de Animação
Amélia & Duarte, de Alice Guimarães e Mónica Santos
Chatear-me-ia Morrer Tão Joveeeem..., de Filipe Abranches
Estilhaços, de José Miguel Ribeiro
Ghiocel, de Mara Ungureanu
#Lingo, de Vicente Niro
Noite sem Distância, de Lois Patiño
Pronto, Era Assim, de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues
Senhor Jaime, de Cláudio Sá
Vígil, de Rita Cruchinho Neves
.
Melhor Curta-Metragem
Amélia & Duarte, de Alice Guimarães e Mónica Santos
Campo de Víboras, de Cristèle Alves Meira
Luto Branco, de Frederico Ferreira
Marasmo, de Gonçalo Loureiro
Maria do Mar, de João Rosas
Menina, de Simão Cayatte
A Noite de Santo António, de João Gomes
Pedro, de André Santos e Marco Leão
Rampa, de Margarida Lucas
Swallows, de Sofia Bost
.
Melhor Realizador
Cristèle Alves Meira, Campo de Víboras
Ivo M. Ferreira, Cartas da Guerra
Luís Filipe Rocha, Cinzento e Negro
José Barahona, Estive em Lisboa e Lembrei de Você
Vicente Ferraz, A Estrada 47
Guilherme Trindade, Offline
João Pedro Rodrigues, O Ornitólogo
Hugo Vieira da Silva, Posto Avançado do Progresso
Sérgio Tréfaut, Treblinka
Paulo Filipe Monteiro, Zeus
.
Melhor Realizador de Curta-Metragem
Cristèle Alves Meira, Campo de Víboras
Filipe Abranches, Chatear-me-ia Morrer Tão Joveeeem....
José Miguel Ribeiro, Estilhaços
Frederico Ferreira, Luto Branco
Gonçalo Loureiro, Marasmo
João Rosas, Maria do Mar
João Gomes, A Noite de Santo António
Lois Patiño, Noite sem Distância
André Santos e Marco Leão, Pedro
Margarida Lucas, Rampa
Rita Cruchinho Neves, Vígil
.
Melhor Actor
Ivo Alexandre, Posto Avançado do Progresso
Paulo Azevedo, Estive em Lisboa e Lembrei de Você
Miguel Borges, Cinzento e Negro e Uma Vida à Espera
Filipe Duarte, Cinzento e Negro
Sinde Filipe, Zeus
Duarte Gomes, Offline
Paul Hamy, O Ornitólogo
Kiril Kashlikov, Treblinka
Pedro Lacerda, Axilas
Nuno Lopes, Posto Avançado do Progresso
Miguel Nunes, Cartas da Guerra
.
Melhor Actor em Curta-Metragem
Filipe Abreu, Pedro
Welket Bungué, Bastien
Pedro Carmo, Menina
Hugo Costa Ramos, Crime Perfeito
João Jesus, Noiva
Eurico Lopes, Vícios para uma Família Feliz
José Mata, Luto Branco
Salvador Nery, Que é Feito dos Dias na Cave
Gilberto Oliveira, Amélia & Duarte
Carlos Santos, Gasolina
João Sério, Que é Feito dos Dias na Cave
.
Melhor Actriz
Maria João Abreu, A Mãe é que Sabe
Ivana Baquero, Gelo
Joana Bárcia, Cinzento e Negro
Íris Cayatte, Offline
Mariana Dias, O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu
Margarida Esteves, Rampa
Ana Padrão, Campo de Víboras
Inês Patrício, O Amor é Lindo... Porque Sim!
Joana Santos, Menina
Teresa Tavares, Swallows
.
Melhor Actriz em Curta-Metragem
Sara Barros Leitão, Kuru
Helena Canhoto, Vícios para uma Família Feliz
Sara Costa, Amélia & Duarte
Diana Costa e Silva, A Noite de Santo António
Margarida Esteves, Rampa
Alexandra Lencastre, 2 Minutos
Margarida Moreira, A Instalação do Medo
Ana Padrão, Campo de Víboras
Joana Santos, Menina
Teresa Tavares, Swallows
.
Melhor Actor Secundário
Xelo Cagiao, O Ornitólogo
David Caracol, Posto Avançado do Progresso
Adriano Carvalho, A Mãe é que Sabe
Miguel Cunha, Zeus
Isac Graça, Cartas da Guerra
Nuno Janeiro, A Instalação do Medo
Diogo Leite, O Amor é Lindo... Porque Sim!
Miguel Lemos, Offline
João Nunes Monteiro, Offline
Paulo Pires, Zeus
João Pedro Vaz, Cartas da Guerra
.
Melhor Actriz Secundária
Isabel Abreu, Uma Vida à Espera
Sara Barros Leitão, Offline
Ana Brito e Cunha, O Amor é Lindo... Porque Sim!
Mónica Calle, Cinzento e Negro
Helena Isabel, O Segredo das Pedras Vivas
Margarida Marinho, Axilas
Joana Pais de Brito, A Mãe é que Sabe
Maria Rueff, O Amor é Lindo... Porque Sim!
Sílvia Rizzo, O Amor é Lindo... Porque Sim!
Margarida Vila-Nova, Cartas da Guerra
.
Melhor Elenco
O Amor é Lindo... Porque Sim!, Jaime Almeida, Ana Brito e Cunha, Diogo Leite, André Nunes, Nuno Pardal, Inês Patrício, Maria Rueff, Sílvia Rizzo, Rita Sereno, Lourenço Seruya, Elsa Valentim e Francisco Vistas
Cartas da Guerra, Tiago Aldeia, João Arrais, Welket Bungué, Mutango, Cambinda Tunga, David Caracol, Gonçalo Carvalho, Simão Cayatte, Pedro Ferreira, Isac Graça, Francisco Hestnes, João Pedro Mamede, Tiago Manaia, Miguel Nunes, Ricardo Pereira, Miguel Raposo, Daniel Seabra, Orlando Sérgio, João Pedro Vaz, João Veloso e Margarida Vila-Nova
Cinzento e Negro, Joana Bárcia, Manuel de Blas, Miguel Borges, Mónica Calle e Filipe Duarte
Gelo, Ivana Baquero, Ivo Canelas, Albano Jerónimo, João Jesus e José Afonso Pimentel
A Mãe é que Sabe, Maria João Abreu, Filipa Areosa, Ricardo Azevedo, Bruno Cabrerizo, Dalila Carmo, Margarida Carpinteiro, Beatriz Costa, Noémia Costa, Adriano Carvalho, Manuel Cavaco, João Maria Maneira, Manuela Maria, Miguel Monteiro, Joana Pais de Brito, Catarina Rebelo, Carlos Santos, Filipe Vargas
Offline, Sara Barros Leitão, Ana Bustorff, Iris Cayatte, Duarte Gomes, Miguel Lemos, Daniela Love, João Nunes Monteiro, João Sena e Emília Silvestre
Refrigerantes e Canções de Amor, Ivo Canelas, Ruy de Carvalho, Sérgio Godinho, Victória Guerra, Lúcia Moniz, André Nunes, Jorge Palma e João Tempera
Zeus, Idir Benebouiche, Ivo Canelas, Miguel Cunha, Sinde Filipe, Catarina Luís e Paulo Pires
.
Melhor Argumento
Cartas da Guerra, Ivo M. Ferreira e Edgar Medina
Cinzento e Negro, Luís Filipe Rocha
Estive em Lisboa e Lembrei de Você, José Barahona
Luto Branco, Frederico Ferreira
A Mãe é que Sabe, Roberto Pereira e Nuno Rocha
Offline, João Harrington Sena, Ivone Rodrigues e Guilherme Trindade
O Ornitólogo, João Rui Guerra da Mata e João Pedro Rodrigues
Penúmbria, Eduardo Brito
Posto Avançado do Progresso, Hugo Vieira da Silva
Treblinka, Sérgio Tréfaut
.
Melhor Montagem
Amélia & Duarte, Martha Ewa Wojakowska
Cartas da Guerra, Sandro Aguilar
Cinzento e Negro, Antonio Pérez Reina
Marasmo, Ana Rita Pinheiro
A Mãe é que Sabe, Paula Miranda
Maria do Mar, Luís Miguel Correia
A Noite de Santo António, João Gomes e Ricardo Franco
Offline, Rui Sousa
Posto Avançado do Progresso, Paulo Mil Homens
Zeus, Tomás Baltazar
.
Melhor Fotografia
Campo de Víboras e O Ornitólogo, Rui Poças
Cinzento e Negro, André Szankowski
Estive em Lisboa e Lembrei de Você, Daniel Neves
Ascensão, Cartas da Guerra, Gelo, Treblinka e Zeus, João Ribeiro
Fósforo Frio, Henrique Hirche
Luto Branco, Afonso Oliveira
Maria do Mar, Paulo Menezes
Ornamento e Crime, Jorge Quintela
Posto Avançado do Progresso, Fernando Lockett
Vícios para uma Família Feliz, Miguel Sales Lopes
.
Melhor Música Original
Amélia & Duarte, Pedro Marques
Cartas da Guerra, António Pedro
Cinzento e Negro, Mário Laginha
Estive em Lisboa e Lembrei de Você, Felipe Ayres
Gelo, Xavier Font e Filipe Raposo
Por Diabos, Miguel Santos
Rampa, Norberto Lobo
Refrigerantes e Canções de Amor, Filipe Raposo
Treblinka, Alfredo Costa Monteiro
Uma Vida à Espera, Lúcia Moniz
.
Melhor Direcção Artística
Amélia & Duarte, Marta Lima e Mónica Santos
Bunker, Nádia Henriques
Cartas da Guerra, Nuno Gabriel de Mello
Cinzento e Negro, Isabel Branco
A Estrada 47, Sergio Tribastone
Gelo, Ana Paula Rocha
A Mãe é que Sabe, Joana Cardoso
Ornamento e Crime, Ricardo Preto
Refrigerantes e Canções de Amor, Artur Pinheiro
Zeus, João Torres
.
Melhor Guarda-Roupa
Ascenção e Posto Avançado do Progresso, Tânia Franco
Cartas da Guerra, Lucha d'Orey
Cinzento e Negro, Isabel Branco
A Estrada 47, Elisabetta Antico
A Mãe é que Sabe, Mia Lourenço
Menina, Nuno Esteves e Teresa Samissone
Ornamento e Crime, Susana Abreu
O Ornitólogo, Patrícia Dória
Que é Feito dos Dias na Cave, Maria Inês Santos
Zeus, Sílvia Grabowski
.
Melhor Caracterização
Ascensão, Rita de Castro
Cartas da Guerra, Nuno Esteves
Cinzento e Negro, Sandra Pinto
A Estrada 47, Federico Carretti
Fósforo Frio, Bruna Comédias e Tiago Osório
A Mãe é que Sabe, Mário Leal e Inês Pauor
Menina, Shay Alves, Nuno Esteves, Sónia Luz e Paula Wallenkamp
Ornamento e Crime, Bárbara Brandão
Posto Avançado do Progresso, Íris Peleira
Zeus, Sara Menitra
.
Melhores Efeitos Sonoros e/ou Visuais
A Estrada 47, Branko Neskov
Cartas da Guerra, Ricardo Leal e Tiago Matos
Gelo, Irma Lucia
Marasmo, Tiago Cardoso, Dinis Henriques e Luís Wood
Noite sem Distância, Jorge Alarcón, João Gigante e Miguel Calvo "Maiki"
.
Melhor Cartaz
Balada de um Batráquio
Estive em Lisboa e Lembrei de Você
Gelo
Marasmo
A Noite de Santo António
Noite sem Distância
O Ornitólogo
Phil Mendrix
Posto Avançado do Progresso
Treblinka
.
Melhor Trailer
O Amor é Lindo... Porque Sim!
Cartas da Guerra
Cinzento e Negro
A Estrada 47
Posto Avançado do Progresso
.

Os vencedores serão anunciados no próximo dia 13 de Janeiro e publicados na página oficial do CinEuphoria, na página Facebook e via Twitter.
.

Quase Normal no Você na Tv



Video

Alô Portugal 23/12/2016




Video

segunda-feira

Bom Natal e umas Boas entradas em 2017

A equipa do blog deseja a todos um bom natal e umas boas entradas em 2017. Deixamos ficar um video com o resumo dos projetos que a Lúcia Moniz entrou em 2016, o "Quase Normal" continua no Casino Estoril em 2017.

domingo

Teatro: Quase Normal - Margot

Espectaculo recomendado leia a critica em:
Mr Margot

Quase Normal - Trailer

Quase Normal - Retratos Perfeitos


“Quase Normal”
O espetáculo que está auditório do Casino do Estoril
Espreitem aqui o convite feito pela Lúcia Moniz, pela Mariana Pacheco e pelo Henrique Feist:

14717216_1058856857516198_8797954962899091189_n

20161020_204451
Henry, interpretado por André Lourenço.
André Lourenço já tem provas dadas no mundo do Teatro Musical em Portugal como, por exemplo, Jesus no musical Jesus Christ Superstar bem como nos musicais Rent e Despertar da Primavera. Mas quem é o Henry?


Gabe (Gabriel) Goodman, interpretado por Valter Mira.
Valter Mira fez parte da boy band portuguesa NO STRESS. Este é o seu primeiro grande papel num musical numa interpretação a qual tem recebido vários elogios por parte do público e da crítica. Mas quem é o Gabe?


Natalie Goodman, interpretada por Mariana Pacheco.
Mariana Pacheco venceu o Globo de Ouro Revelação de este ano e ninguém consegue ficar indiferente à sua excelente interpretação na novela “Coração de Ouro” na SIC no papel de Catarina. Mas quem é a Natalie?


Dan Goodman interpretado por Henrique Feist..
Henrique Feist conta com uma carreira de sucesso há já 35 anos. Licenciado em Teatro Musical e vencedor de já vários prémios, tem sido responsável por inúmeros espectáculos e musicais em Portugal. Mas quem é o Dan?


Diana Goodman interpretada por Lúcia Moniz.
Falar da Lúcia Moniz é falar sobre uma das melhores actrizes/cantoras do panorama nacional. Mas quem é a Diana…?



Henrique Feist
SINOPSE
Next to Normal – “QUASE NORMAL” é um musical rock escrito por Brian Yorkey e com música de Tom Kitt. Entre os ingredientes principais de um musical que vão desde a comédia ao drama, conta a história de uma mãe que luta contra a sua bipolaridade e os efeitos que esta doença e as tentativas da sua cura tem sobre a família. O musical também se debruça sobre outras temáticas como a perda, suicídio, uso de drogas, as éticas da psicologia moderna e o submundo da vida suburbana. O musical estreou-se Off Broadway em 2008 e venceu o prémio dos Outer Critics’ Circle Award para Best Score (Melhor Partitura) bem como duas nomeações para os Drama Desk Awards nas categorias de Melhor Actriz e Melhor Partitura.. Após a sua temporada Off-Broadway, foi apresentado na Arena Stage em Washington até finalmente chegar à Broadway em 2009.
Foi nomeado para 11 Tonys vencendo 3 – Melhor Partitura, Melhor Orquestração e Melhor Actriz. Venceu também o Prémio Pulitzer para Drama em 2010 sendo o oitavo musical de sempre a receber esta honra.
É unanimamente considerado um “poderoso musical rock que lida com questões de doenças mentais numa família suburbana, alargando assim a panóplia de assuntos que podem ser explorados em musicais”



TRADUÇÃO

Henrique Feist

INTERPRETAÇÃO
Lúcia Moniz, Henrique Feist, Mariana Pacheco, Valter Mira, André Lourenço, Diogo Leite

CENOGRAFIA
EPC

FOTOGRAFIA
Nuno Silva – Artepertinace

PRODUÇÃO
Artfeist Produções Artísticas

FICHA ARTÍSTICA
Direcção Musical – Nuno Feist

CONTACTOS PARA RESERVAS
21-4667708
reservas@artfeist.pt

ENCENADOR
Henrique Feist

PREÇOS
Auditório – 16€
DESCONTOS
Desc. +65
Desc. Estudante (até 21a)
Dia das Compras na Net
Espreitem aqui para comprar os vossos bilhetes: Quase Normal

Fonte : Retratos Contados

Quase Normal - Fotos





















Fotos by Alfredo Matos

Mais fotos do Espetaculo "Quase Normal" no Casino Estoril em;
Alfredo Matos Fotografia

domingo

Cá em Casa RTP 16-11-2016

Programa de Herman José 16/11/2016 que recebeu Lúcia Moniz, Henrique Feist e Mariana Pacheco para falarem de Quase Normal em exbição no Casino Estoril de 5ªfeira a Sabado pelas 21:30 e Domingo pelas 17:00.

Video

Agora Nós 24-10-2016 Apresentação do Quase Normal

Parte 2

http://www.rtp.pt/play/p2793/e256082/agora-nos/532083

domingo

Artistas Contados e Cantados Frank Sinatra

Local :SPA Autores
Horas: 18:00
Local: Av. Duque de Loulé 31, Lisboa

Quase Normal - Estreia dia 20/10/2016







O Auditório do Casino Estoril estreia, no próximo dia 20 de Outubro, a partir das 21h30, o espectáculo “Quase Normal”.

Este musical rock terá como protagonistas Lúcia Moniz, Henrique Feist e Mariana Pacheco. Com o título original “Next to Normal”, “Quase Normal” reúne os ingredientes principais de um musical que vão desde a comédia ao drama, contando a história de uma mãe que luta contra a sua bipolaridade e os efeitos que esta doença e as tentativas da sua cura tem sobre a família.


O musical também aborda importantes temáticas como a perda, suicídio, uso de drogas, as éticas da psicologia moderna e o submundo da vida suburbana.


O musical escrito por Brian Yorkey e com música de Tom Kitt estreou-se Off Broadway e venceu o prémio dos Outer Critics’ Circle Award para Best Score (Melhor Partitura) bem como duas nomeações para os Drama Desk Awards nas categorias de Melhor Actriz e Melhor Partitura. Após a sua temporada Off-Broadway, foi apresentado na Arena Stage em Washington até finalmente chegar à Broadway em 2009.


Foi nomeado para 11 Tonys vencendo 3 – Melhor Partitura, Melhor Orquestração e Melhor Atriz. Venceu, também, o Prémio Pulitzer para Drama, em 2010, sendo o oitavo musical de sempre a receber esta honra.


Ficha técnica:


Texto: Brian Yorkey | Música Tom Kitt | Encenação Henrique Feist | Direcção Musical Nuno Feist | Cenografia EPC | Fotografia Nuno Silva – Artepertinace | Produção Artfeist Produções Artísticas | Interpretação: Lúcia Moniz, Henrique Feist, Mariana Pacheco, Válter Mira, André Lourenço e Diogo Leite.


O ciclo de representações decorrerá de quinta-feira a sábado, às 21h30, e aos domingos às 17 horas.


M/16. Preço: 16€ por pessoa. Descontos: Estudantes até 21 anos / Descontos: +65 anos


Bilhetes à venda & reservas:


Lojas FNAC / www.bilheteiraonline.pt / Bilheteira do Casino Estoril / Tel.: 21 466 77 08 / Email: reservas@artfeist.pt

A Grande Aposta - Episódios completos


A Grande Aposta foi uma telenovela portuguesa transmitida entre 23 de Setembro de 1997 e 6 de Março de 1998 na RTP. É da autoria de Tozé Martinho, Cristina Aguiar e Sarah Trigoso e contou com 150 episódios.

Está neste momento em reposição na RTP Memória pelas 17h e marcou a estreia de atores atualmente consagrados como Fernanda Serrano, Pedro Lima, Patricia Bull e Lúcia Moniz no papel de gêmeas.



Aqui fica alguns episódios desta novela estreada à 19 anos.


A Grande Aposta T 1 Ep 107 por hulkamaniastillalive



GRANDE APOSTA T1 Ep 106 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 105 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 104 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 103 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 102 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 101 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 100 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 99 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 97 por hulkamaniastillalive



GRANDE APOSTA T1 Ep 97 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 96 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 EP 95 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 EP 94 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 93 por hulkamaniastillalive



A GRANDE APOSTA T1 Ep 92 por hulkamaniastillalive


Fonte: Wikipedia



quarta-feira

Anti-Estreia de Refrigerantes de Canções de Amor - 3/10/2016

Despedida dos cinemas de Refrigerantes e Canções de Amor 3/10/2016 pelas 20:00 no Cinema UCI - EL Corte Inglês
Bilhetes «AQUI»

News projects in development




Soon...

Há antestreias. E há a anti-estreia


Refrigerantes e Canções de Amor, o filme do Luis Galvão Teles que é o meu primeiro argumento para cinema, está nas suas últimas semanas de exibição comercial, antes das futuras vidas que o esperam - em 2017 poderão ver na RTP a versão extensa, em três partes, incluindo todo o material (algum bem relevante!) que ficou de fora da versão dos cinemas; e estão na calha livros baseados na improvável história de amor entre um músico frustrado de coração partido e uma dinossaura cor-de-rosa de supermercado. Mas antes disso, e perante a paixão e a aconchegante onda de culto que o filme gerou junto de muitas das pessoas que o viram (a sério - recebi algumas das mensagens mais calorosas de sempre de qualquer coisa que eu tenha feito na minha carreira), nós que fizemos o filme, a NOS que o distribuiu e os cinemas UCI, unimo-nos em torno desta ideia: assim como assinalámos a chegada do filme aos cinemas com uma antestreia, vamos assinalar a despedida dele dos cinemas com uma...




... ANTI-ESTREIA.



Por isso, se viram o filme e se apaixonaram por ele; se ainda não viram e querem abraçar uma das oportunidades finais de o verem numa sala de cinema, estamos a preparar uma sessão especial nos Cinemas UCI El Corte Inglès. Vai ser exibido o filme, vai haver conversa com o público, vai haver convívio - e ainda não sabemos bem o que mais irá haver, mas queremos assinalar o afecto que esta pequena e improvável comédia romântica gerou junto do público.



Assim sendo, se são fãs do Refrigerantes e Canções de Amor, ou se querem arriscar ser, a ANTI-ESTREIA ocorre dia 26 de Setembro, às 20h00, nos Cinemas UCI El Corte Inglès.



Mais informações em breve!



Fonte: Facebook Nuno Mark

Terra Mãe (1998)

por Paulo Neto

Foi no início deste século que as telenovelas nacionais, transmitidas pela TVI, terminaram com o longo domínio noprimetime nacional das telenovelas brasileiras da Rede Globo, que vinha desde os anos 70 e 80 e que continuou em alta nos anos 90, em que transitaram da RTP para a SIC.


Entre os diversos factores para tal acontecimento, como a forte aposta da estação de Queluz neste produto ou o aproveitamento da conquista do primetime pela TVI herdada do primeiro Big Brother, destaca-se sobretudo o know how da NBP Produções (que em 2009 entrou em fusão com a Plural, nome pela qual a produtora é hoje designada) que soube como desenvolver este produto televisivo.







Foto promocional com os jovens actores da telenovela






Artigo sobre a estreia de "Terra Mãe" na revista "Nova Gente"






Antes de atingir esse feito na TVI, a NBP, criada em 1990 por Nicolau Breyner (daí a sigla), foi desenvolvendo esseknow-how ao longo dos anos 90 na RTP, produzindo de forma sucessiva várias telenovelas portuguesas que foram exibidas pela estação pública, começando em 1992 com "Cinzas" e terminando em 2000 com "Ajuste de Contas". Entre os títulos mais conhecidos deste conjunto de telenovelas, contam-se "Desencontros", "Na Paz dos Anjos", "Roseira Brava" e "A Grande Aposta".









Mas pessoalmente, a minha telenovela nacional preferida desse período foi "Terra Mãe" que se distinguiu das demais por três aspectos: primeiro, um elenco maioritariamente jovem e apoiado por alguns nomes consagrados; segundo, por ser a primeira telenovela da autoria de Rui Vilhena, que consagrar-se-ia nos anos seguintes como um dos nossos maiores teledramaturgos, nomeadamente através do sucesso da telenovela "Ninguém Como Tu"; terceiro, porque soube capturar a Lisboa fulgurante, moderna e cosmopolita da altura, ou não tivesse sido gravada e exibida no ano da Expo 98.









Manuela Maria (Milú)










Miguel Hurst (Hugo)







Sandra Cóias (Kim)







Outro tema importante da "Terra Mãe" era a lusofonia já que um dos principais núcleos da telenovela era aquele protagonizado por Milú Mendes (Manuela Maria), uma antiga actriz de teatro que aluga quartos na sua casa a três jovens oriundos de países de língua portuguesa: Hugo (Miguel Hurst), um jornalista moçambicano, Kim (Sandra Cóias) uma jovem macaense que estudo estilismo e Filipe (Cláudio Lins), um jovem brasileiro licenciado em comunicação que traz consigo um segredo.











Glória de Matos (Maria do Carmo)










Pedro Lima (Diogo)







Milú tem uma irmã, Maria do Carmo (Glória de Matos) com quem sempre se deu mal. Ao contrário da irmã, Maria do Carmo é uma mulher fria, autoritária e preconceituosa. Viúva de um abastado empresário, é a matriarca da família Castro composta pela sua filha Beatriz (Maria Emília Correia), o seu genro Paulo (Alexandre Melo) e os seus netos Diogo (Pedro Lima), Ana (Lúcia Moniz) e Gonçalo (Gonçalo Waddington). Na adolescência, Diogo viveu uma paixão com Carla (Anabela Teixeira), neta de Milú, que terminou devido à pressão da avó do rapaz, mas sem que nenhum dos dois tenha conseguido esquecer.










Lúcia Moniz (Ana), Cláudio Lins (Filipe) e Anna Ludmila (Fernanda)



Ana conhece Filipe no dia do funeral do seu avô, que é também o dia em que o rapaz chega a Portugal, e após algumas situações aparatosas, surge uma forte atracção entre ambos, tornando-se o principal par romântico. Mas não só Ana está prestes a ficar noiva de Henrique (Carlos Sampaio), com quem namora há vários anos, como Fernanda (Anna Ludmila), a ex-namorada de Filipe, fará de tudo para reatar o namoro ao saber que ele mudou-se para Lisboa.









Gabriel Leite (Marcelo)












Eurico Lopes (Luís)







Fernanda partilha um apartamento com o sedutor Luís (Eurico Lopes) e o divertido homossexual Marcelo (Gabriel Leite). Junto destes três amigos costuma estar Patrícia (Vera Alves), uma jovem que planeia casar e viver às custas de um homem rico mas cujos planos saem sempre furados. Já Luís vive uma tórrida relação casual com Marina (Sandra B.), uma mulher independente que trabalha na agência de publicidade Zenith, dirigida por Paulo e onde também trabalham Diogo e Henrique.









Armando Cortez (Augusto)













Lídia Franco (Isabel) e Vera Alves (Patrícia)







Marques D'Arede (José Maria)











Como se já não tivessem suficientes, Milú e Maria do Carmo têm ainda outro motivo de conflito: ambas interessam-se por Augusto (Armando Cortez), um simpático viúvo, dono de uma cadeia de boutiques. Augusto é pai de Isabel (Lídia Franco), uma mulher fútil, extravagante e cómica, casada com o ambicioso Zé Maria (Marques D'Arede) de quem teve um filho, o endiabrado Ricardo (Márcio Ferreira). Em casa de Isabel e Zé Maria, ainda há espaço para as desventuras de três dos seus empregados: Aparecida (Paula Pedregal), Jorge (Joaquim Guerreiro) e Olívia (Margarida Cardeal).






Joaquim Guerreiro (Jorge)



Isabel é bastante ciumenta quanto ao marido mas nem imagina que ele tem uma família secreta, já que teve uma filha da humilde Fátima (Teresa Madruga), Lena (Patrícia Tavares), que não sabe que aquele que chama de padrinho é o seu verdadeiro pai. Lena vive um terno primeiro amor com Miguel (Diogo Morgado), o outro neto de Augusto, criado pelo avô após a morte dos seus pais.









Gonçalo Waddington (Gonçalo), Patrícia Bull (Inês),

Patrícia Tavares (Lena) e Diogo Morgado (Miguel)







Patrícia Bull (Inês) e Yolanda (Joana)











Antonio Solmer (Mário) e Paulo Pires (Álvaro)







Carlos Sampaio (Henrique)











A melhor amiga de Lena é Inês (Patrícia Bull), filha de Joana (Yolanda), uma antiga modelo, e Mário (Antonino Solmer), um biólogo marinho actualmente a trabalhar no Oceanário da Expo 98. Mário suspeita que alguém planeia sabotar o projecto mas não imagina que o responsável seja o seu colega Álvaro (Paulo Pires). Na verdade, Álvaro pertence a uma rede de crime organizado e juntamente com Tito (João Lagarto) procuram um valioso chip informático e uma chave Laika, que se encontra na posse de Filipe. Também metida nestas e noutras tramóias está Cristina (Carla Lupi), a colega de apartamento de Carla.


Outro dos mistérios é o assassinato de Marina, que vem-se a descobrir ter sido Henrique, que a matou por esta saber dos seus negócios sujos através da agência. Curiosamente, no final Álvaro e Henrique acabam na prisão, mas cada um condenado pelos crimes que o outro cometeu.

















O elenco de "Terra Mãe" teve ainda participações especiais de Carlos Santos, Carmen Santos, Luís Vicente, Licínio França, Manuel Cavaco e Octávio de Matos e de aparições como eles próprios de António Pedro Cerdeira,Fernanda Serrano e dos Excesso. Aliás a imprensa nacional especulou sobre um romance de Fernanda Serrano com Cláudio Lins, durante a estadia deste em Portugal para a gravação da telenovela. "Terra Mãe" contou ainda com a participação de Nayma no genérico.

















Com uma dose equilibrada de humor, drama e mistério e capturando bem a atmosfera vibrante da Lisboa de então, que conjugava a modernidade da Expo 98 e do então recém-inaugurado Centro Comercial Colombo com as suas zonas mais típicas e que se tornava um melting pot de várias culturas, sobretudo as dos países lusófonos, e bons desempenhos de todo o elenco, "Terra Mãe" foi uma das melhores telenovelas portuguesas dos anos 90, sabendo capturar o espírito positivo de uma Lisboa e de um Portugal dos anos 90, um espírito que hoje em dia quase parece irreal.





Lista de reprodução com alguns capítulos:











Excerto de telenovela com cenas na Expo 98:





Fonte: Enciclopedia de Cromos