CINEMA PORTUGUÊS NO DIA DE PORTUGAL

Programação especial a 10 de junho no TVC2, com a estreia de Refrigerantes e Canções de Amor




1/6 - No Dia de Portugal os Canais TVCine & Séries fazem um retrato do melhor e mais recente cinema português, com 14 filmes com assinatura nacional. De Cartas da Guerra a O Amor é Lindo... Porque Sim!, de O Ornitólogo a Canção de Lisboa (2015), sem esquecer Posto Avançado Do Progresso ou Cinzento e Negro. Destaque ainda para a estreia de Refrigerantes e Canções de Amor (2016), de Luís Galvão Teles e com argumento de Nuno Markl. Especial Dia de Portugal a 10 de junho, sábado, a partir das 8h25, no TVCine 2.

Iniciamos as comemorações às 8h25 com a curta Fuligem (2016), de Vasco Sá e David Doutel, prémio de Melhor Realização e prémio de curta mais votada pelo público no mais recente Festival de Curtas de Vila do Conde. O filme centra-se na história de um homem e sublinha a importância dos caminhos-de-ferro na História de Portugal. A fuligem é a marca do vapor deixada pelas antigas carruagens e é essa marca que é relembrada por Vasco Sá e David Doutel.

Segue-se às 8h45 Posto Avançado do Progresso (2016), de Hugo Vieira da Silva. É mais um capítulo do cinema português na sua retrospetiva da colonização nacional em África. O filme leva-nos até ao final do século XIX numa zona longínqua do Rio Congo, junto à fronteira angolana, onde dois portugueses, João de Mattos (Nuno Lopes) e Sant'Anna (Ivo Alexandre) se deslocaram com a intenção de enriquecer com o marfim da região e explorar os selvagens, como apelidavam as tribos que habitavam o local. O isolamento e a ganância acabam por ter o resultado oposto ao sonhado quando os dois embarcaram nesta expedição.

Continuamos com Jogo de Damas (2015), de Patrícia Sequeira, às 10h50, com um elenco de luxo constituído por Ana Nave, Ana Padrão, Fátima Belo, Maria João Luís e Rita Blanco. As atrizes contribuíram para a construção dos diálogos, fazendo de Jogo de Damas um exemplar e sublime trabalho de equipa. O filme conta a história de uma noite em que as cinco mulheres se reúnem numa casa no Alentejo, pensada como turismo de habitação por Marta, a amiga que acabou de morrer. Vai ser uma noite de revelações e de reflexões, sobre traições, religião, amizade, num retrato nu e despido de pequenas mentiras que por vezes orienta a vida de todos nós.

Especial Dia de Portugal segue às 12h20 com Maria do Mar (2015), de João Rosas. O filme conta a história de Nicolau, um rapaz adolescente, que vai passar uns dias com o irmão mais velho e os amigos dele numa casa em Sintra. Entre todos os rapazes está Maria do Mar, que vai exercer uma magnética atração junto de Nicolau.

Às 16h05 é exibido Cartas da Guerra (2016), de Ivo Ferreira, uma obra sublime com um trabalho de fotografia transcendente. O filme tem como base D'este viver aqui neste papel descripto: Cartas da guerra, de António Lobo Antunes, a compilação das cartas de amor que escreveu à mulher quando foi alferes em Angola em 1971, na Guerra colonial. António (Miguel Nunes) escreveu inúmeras cartas apaixonadas, plenas de emoção profunda, à sua mulher, Maria José (Margarida Vila-Nova), que ficou em Lisboa grávida. O filme cria um diálogo escrito entre os dois e constrói também a realidade daqueles anos terríveis para quem estava em Angola, rodeado de guerra, miséria e doença, mas também para quem ficou na então metrópole, a recear pelos seus entes mais queridos perdidos no meio de uma guerra que muitos consideravam estúpida, como aliás são todas as guerras. Cartas da Guerra foi o candidato português às nomeações ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.

A curta O Guardador (2015), de Rodrigo Areias, com música de The Legendary Tigerman, chega às 15h. Sendo uma produção da UBI – Universidade da Beira Interior, na Covilhã, O Guardador conta a história de Constantino, guardador de rebanhos durante o dia e de um museu durante a noite, numa jornada contínua de trabalho porque não tem onde viver.

Segue-se às 15h25 uma viagem às ilhas da bruma, Cinzento e Negro (2015), de Luís Filipe Rocha, entre a ilha do Faial e do Pico, Açores. Depois de ser enganada pelo marido, que lhe roubou todas as posses e fugiu sem deixar rasto, Maria (Joana Bárcia) resolve contratar um detetive, Lucas (Filipe Duarte), para descobrir o paradeiro de David (Miguel Borges). Lucas descobre que David rumou aos Açores mas nas suas investigações conhece Marina (Mónica Calle), uma mulher por quem se apaixona e que vai mudar o rumo do caso.

Miami (2014), de Simão Cayatte, às 17h35, conta-nos a história de Raquel, uma adolescente de 15 anos que quer ser famosa a todo o custo. Com esse objetivo a rapariga arquiteta uma estratégia para alcançar a fama mas cujas consequências podem não ser as esperadas. Miami venceu o prémio de Melhor curta-metragem do MOTELX 2015.

Já às 17h55 há coisas que são belas só porque sim, como dizem as crianças, e o amor é uma delas. Um namoro devia ser simples e bonito porque O Amor é Lindo… Porque Sim! (2016), de Vicente Alves do Ó. O pior é quando, como aconteceu à Amélia (Inês Patrício), o namorado acaba com a relação no dia dos seus anos, ao mesmo tempo que perde o emprego. Mas não há fome que não dê em fartura e Amélia vai ver-se a mãos com três novos pretendentes, mesmo que não consiga esquecer o Mauro (João Maria). Quem reza todos os dias ao Santo António é a sua mãe, Gigi (Maria Rueff), que para além de doméstica é ainda vidente. Dúvidas para quê, O Amor é Lindo… Porque Sim!

Às 19h35 chega Coro dos Amantes (2014), de Tiago Guedes. Gonçalo Waddington e Isabel Abreu são os dois protagonistas de uma mesma história trágica, contada pelas duas perspetivas distintas.

Não há cidade como Lisboa e não há nada como A Canção de Lisboa (2016), de Pedro Varela, o terceiro filme da trilogia dos Novos Clássicos Portugueses, exibido às 20h05. Voltamos às aventuras e desventuras de Vasco (César Mourão), um folgazão estudante de Medicina em Lisboa mais dedicado aos copos e às mulheres, que vai receber a visita inesperada das tias do Porto (Margot/São José Lapa e Maria José/Maria Vieira). Acontece que as senhoras, que estão a pagar o curso do menino, acham que ele já é um reputado Doutor. Cabe agora a Vasco fingir perante as tias que já terminou o curso com distinção e convencê-las que o dinheiro foi bem empregue.

Refrigerantes e Canções de Amor estreia às 22h. Nuno Markl criou uma história de amor entre um rapaz e uma rapariga que é ao mesmo tempo sua agente, até que o troca por outro rapaz, seu antigo colega de banda. Para curar os seus males de amor nada melhor que conhecer e apaixonar-se por uma promotora de refrigerantes num supermercado que se veste de dinossaura cor-de-rosa. Um filme com Ivo Canelas, Victoria Guerra, João Tempera, Lúcia Moniz, Jorge Palma, Sérgio Godinho, Ruy de Carvalho, Marco Delgado e André Nunes, com canções de Sérgio Godinho, Jorge Palma e João Tempera.

Segue-se às 23h40 Pedro (2016), de André Santos e Marco Leão, a primeira curta de produção exclusivamente portuguesa a ser escolhida para a seleção oficial do prestigiado Festival de Sundance. O filme relata uma madrugada na vida do enigmático Pedro ao regressar a casa.

Especial Dia de Portugal termina com O Ornitólogo (2016), de José Pedro Rodrigues, que venceu o Leopardo de Melhor Realizador no Festival de Locarno e o prémio principal do Festival de Cinema de Istambul, Fernando (Paul Hamy) é um solitário ornitólogo que pretende observar as raras cegonhas negras. Fernando pega no seu caiaque e ruma a uma localização remota, num rio com rápidos, para poder encontrar o objeto do seu desejo. Depois de um acidente o ter deixado inconsciente, Fernando é resgatado por um grupo de excursionistas chinesas, que o avisam para os perigos daquela floresta dominada por estranhas entidades. Fernando vai então viver um ritual demoníaco, onde vai confrontar-se com os seus mais íntimos medos, ao mesmo tempo que conhece um ninfo nas águas do rio com quem estabelece uma relação.

Especial Dia de Portugal a 10 de junho, sábado, a partir das 8h25, no TVCine 2.

Fonte: TV Cine
Enviar um comentário