Lisbon Film Orchestra comemorou sétimo aniversário com amigos

Lisbon Film Orchestra comemorou sétimo aniversário com amigos

Quando o cinema era mudo, havia desde um simples piano até uma grande orquestra, nos espaços onde os filmes eram projectados. A necessidade que o cinema teve (e tem!) de recorrer a composições musicais, ao longo da sua história, é, como se sabe, inegável. O espectáculo, conduzido pelo maestro Nuno de Sá, começou com uma variação de alguns dos temas de Howard Shore, da trilogia d'O Senhor dos Anéis. “Concerning hobbits” e “The breaking of the fellowship”, entre outros, transportaram a audiência para o mundo fantástico da Terra Média. O humorista Carlos Moura foi, mais um ano, o mestre-de-cerimónias. Tal Lumière, em A Bela e o Monstro, fez uma paródia no discurso de apresentação cantado com “Be our guest”, de Alan Menken. A celebrar o seu sétimo aniversário, esta orquestra, dedicada a homenagear a sétima arte, convidou alguns dos grandes artistas do panorama musical português. Aos repetentes Henrique Feist e Lúcia Moniz, juntaram-se Anabela e Ricardo Soler. Foram os estreantes que transportam a audiência para o fim dos anos 50 de Grease, com o tema “You're the one that I want”. Anabela cantou, também, um outro tema de Menken para a Walt Disney, “Part of your world” d'A Pequena Sereia. O tema foi soberbamente cantado na língua de Camões, já que foi Anabela quem deu voz às músicas na adaptação portuguesa. Lúcia Moniz substitiuiu Sheryl Crow e, do filme homónimo da série James Bond, cantou “Tomorrow never dies”. Henrique Feist intepretou, com a música “Empty chairs at empty tables”, a personagem de Marius de Les Misérables, o musical de Claude-Michel Schönberg adaptado para o grande ecrã em 2012, 22 anos depois da sua estreia em Paris. De Moulin Rouge!, os duetos “Come what may” e “Elephant Love medley” foram intepretados por Lúcia Moniz, com Henrique Feist e Ricardo Soler, respectivamente. Curiosidade: “Come what may” foi originalmente escrito para Romeo + Juliet, outro dos icónicos filmes de Baz Luhrmann. “Adagio for strings”, de Samuel Barber II, foi tocado numa variação musical. Esta música, com quase 80 anos, foi utilizada em inúmeros filmes, sendo, provavelmente, mais associada ao filme de Oliver Stone, Platoon, apesar de estar presente noutros dois grandes filmes: O Fabuloso Destino de Amélie e O Homem Elefante. “When you believe”, vencedora de um Oscar, do filme "Príncipe do Egipto", foi cantada pelas vozes que fizeram a adaptação portuguesa do filme, Lúcia Moniz e Anabela. Às cantoras juntou-se um coro feminino infantil que cantou a parte da música escrita em hebraico. A orquestra fechou com “Mambo!”, de Leonard Bernstein, do musical West Side Story, seguido de uma última miscelânea de temas de "Os Piratas das Caraíbas". Um espectáculo memorável para amantes do cinema e da música, com a fantástica improvisação de Carlos Moura, e o soberbo som da Lisbon Film Orchestra pela batuta de Nuno de Sá.

Fonte:HardMusica
Enviar um comentário