O Tivoli recebeu noite dedicada ao cinema pela Lisbon Film Orchestra

O Tivoli recebeu noite dedicada ao cinema pela Lisbon Film Orchestra

Na noite de segunda-feira 17 de Dezembro, directamente das salas de cinema para o teatro Tivoli, a Lisbon Film Orchestra interpretou a música dos grandes compositores de melodias da sétima arte e proporcionou uma experiência excepcional de contemplação artística e cultural.

Abriram com a banda sonora da família americana mais famosa de toda a história – “Os Simpsons” que foi divertimento geral, pois todos naquela sala conhecem a canção que há 23 anos dá início a todos os episódios bem como ao filme de 2008.

Seguiram com a banda sonora de Super-Homem e a partir dai, atrás de todos os 81 músicos da orquestra maestrada por Nuno de Sá, apareceram imagens do filme coordenadas com o som dos instrumentos.

Convidado pela banda, o humorista Carlos Moura foi o anfitrião da noite subindo ao palco para apresentar os temas e também para fazer pequenos apontamentos de stand-up comedy bastante divertidos.

Salvo melhor opinião, uma das melhores actuações foi a do filme “Harry Potter”, é que há algo de mágico neste tema que ilustra a vida do pequeno feiticeiro mais famoso do cinema. Seguiu-se a execução do tema de Indiana Jones percorrendo também caminhos portugueses, do compositor Nuno Maló para o filme “Amália”.

Fizeram-se viagens no tempo com "Regresso ao Futuro", e visitaram-se outros planetas com "E.T.", outra das grandes bandas sonoras mais marcantes, numa actuação de mais de 11 minutos com várias nuances melódicas.
Entre uma e outra, surgiu uma surpresa. Lúcia Moniz e Henrique Feist sobem ao palco para cantar o tema de “O Rei Leão 2”, brilhante e emocionante, fez todos na sala voltar à infância e recordar essa canção que marcou uma geração.

Na peça da Saga “Star Wars” em vez de imagens do filme, como tinha acontecido até então, passaram os nomes de todos os músicos, produtores e técnicos que fizeram daquele espectáculo possível, no estilo inconfundível dos créditos desta saga.

Lúcia e Henrique voltam a subir ao palco para cantar o tema de "Moulin Rouge", um musical que também ficará para sempre na história do cinema e no fim Carlos Moura vem anunciar aquela que disse ser a ultima performance da noite.
“Piratas das Caraíbas” fez-nos mergulhar no som das batalhas navais com muito aroma a maresia mas de certa forma não era suficiente para o público.

Muitos se perguntavam se já estava a acabar, se tinha mesmo terminado, quando afinal o maestro volta ao palco para tocar vários temas do musical "Chicago".

Fervoroso e mexido, com muita animação acabava assim o espectáculo com as pessoas a cantar “All That Jazz” enquanto ouviam os instrumentos dos músicos da orquestra.

Mas não, não foi suficiente… o público aplaudia de pé e gritava por mais, e depois de muitas palmas e de muito tempo de espera, o maestro sobe realmente ao pedestal para finalizar em grande, com “Missão Impossível”.
O tema foi perfeito para terminar a noite, animar e satisfazer o público que elogiava à saída o trabalho da única orquestra do nosso país unicamente dedicada à música do cinema. 



Fonte : Hardmúsica
Enviar um comentário