Afinal, o humor faz bem à economia

Para enfrentar a crise com um sorriso nos lábios, dezenas de especialistas participam esta sexta-feira e sábado no Congresso Europeu do Riso, em Lisboa. Objetivo: provar que a boa disposição traz benefícios para a saúde e não só.
Que rir faz bem à saúde já o sabíamos desde o tempo dos nossos avós. Agora, estudos científicos levados a cabo nos últimos anos vão mais longe nessa teoria e procuram demonstrar que os benefícios podem ser extensivos à própria economia, ao criarem trabalhadores mais motivados, logo, mais produtivos.
"Dificilmente teremos energia para nos sentirmos gratos, motivados e criativos, quando tudo aquilo em que ocupamos o nosso pensamento é preocupação, revolta e medo", sustenta Ana Viegas Cruz, diretora da Escola de Sofrologia Caycediana de Santarém, convicta de que as "medidas de austeridade levam a que cada pessoa se foque no que está em falta e não naquilo que tem".
Estas e outras teses vão estar em cima da mesa hoje e amanhã, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISSCP), em Lisboa. Iniciativa conjunta do ISSCP, Escola do Riso e Associação Sorrir, a primeira edição do Congresso Europeu das Ciências e Práticas do Riso vai divulgar os resultados das mais recentes investigações nesta matéria, mas também procurar criar "uma onda de positivismo, fazendo-nos acreditar nas nossas potencialidades e que, conjuntamente, podemos ultrapassar estas dificuldades", asseguram os organizadores.
Além de investigadores oriundos de vários países, estão confirmadas intervenções de rostos familiares, como o ator Ricardo Carriço, os músicos Zé Manel e Lúcia Moniz ou os humoristas Aldo Lima e Fernando Alvim.
Todos juntos, irão procurar que os estereótipos em redor do humor passem a pertencer ao passado. A diretora da Escola do Riso, Joanne Gribler, acredita mesmo que chegou a altura de "o riso ser levado a sério" e faz votos para que os hospitais integrem "líderes de yoga do riso para apoiar o processo de cura" ou que "nas escolas comecem a inserir esta prática para resolver conflitos".
O programa é dirigido a vários públicos. Se os profissionais de saúde poderão encontrar workshops virados para a terapia, há também ações de formação destinadas a professores e empresários, que abordam temas como "superar o stresse através do humor" ou "ter sucesso e diversão a trabalhar".

Fonte:Jornal de Notícias
Enviar um comentário