Avançar para o conteúdo principal

"Farei o possível de ficar o mais próximo daquela alma". A preparação do ator Sérgio Praia para interpretar António Variações

"Variações", a primeira longa-metragem do realizador João Maia, está em rodagem desde o começo de julho e as filmagens terminarão em agosto no Minho, na aldeia de Fiscal, onde António Variações nasceu.
Em Lisboa, esta semana a equipa técnica está a filmar na discoteca Trumps, recriando o dia em que, em 1981, António Variações atuou pela primeira vez com banda, pondo em palco as músicas que compunha e gravava em casa.
Antes de mais um dia de rodagem, o ator Sérgio Praia, 41 anos, que encarna António Variações, recordou à agência Lusa que prepara esta interpretação há mais de uma década. Problemas na produção do filme levaram a um adiamento de vários anos e só agora é que João Maia e o ator estão a rodar a longa-metragem.
"Se tivesse feito filme há dez anos não tinha densidade. Foi preciso este cansaço para hoje conseguir perceber melhor aquilo que ele viveu, a busca constante, o faz-não-faz. Este tempo foi bom para o meu trabalho", afirmou o ator.
Do elenco, além de Sérgio Praia fazem parte, por exemplo, Filipe Duarte, Victoria Guerra, Augusto Madeira, Filipe Albuquerque, Lúcia Moniz, Afonso Lagarto, Maria José Paschoal, José Raposo e Dinarte Freitas.
A longa-metragem irá focar-se sobretudo na transformação de António Ribeiro em António Variações, num período de vida entre 1977 e 1981, a época em que um barbeiro ambicionava viver da música, gravava canções em cassetes e ensaiava com músicos amadores, muito antes de editar oficialmente qualquer canção.
Arrojado e irreverente, influenciado pelo fado, pela música popular e pelo pop rock, António Variações morreu aos 39 anos, a 13 de junho de 1984. Deixou apenas dois álbuns editados pouco antes de morrer: "Anjo da guarda" (1983) e "Dar e receber" (1984).
"Neste tipo de trabalho há o perigo de se ficar preso nesta busca pelas pessoas que o conheceram e chega a uma altura em que devemos fechar o capítulo, não falar com mais ninguém e focar-me naquilo que eu acho que é a grande pista para o António, que são as letras das músicas. É a isso que eu me agarro e é com isso que construo o António que estou a tentar passar às pessoas", afirmou Sérgio Praia à Lusa.
Para o ator, que interpreta todas as canções no filme, o mais difícil é aproximar-se do timbre de António Variações. "Farei o possível de ficar o mais próximo daquela alma".
No 'set' de rodagem, o realizador João Maia explicou à agência Lusa que decidiu focar o filme naquele período específico da vida de Variações por "ser o mais interessante".
"Ele tinha 37 anos quando gravou o primeiro disco. Fui logo tentar saber o que é que ele fez até aos 37 anos; este período em que não sabia música e gravava estas canções em casa, sem ter ninguém para as tocar, a procurar músicos, a fazer os arranjos, as dúvidas que teria sobre o material dele, a voz dele", afirmou o realizador.
A banda sonora está a ser trabalhada pelo músico Armando Teixeira, a partir das cassetes deixadas por António Variações - as mesmas que o projeto Humanos recuperou para um álbum - e é certo que o filme terá pelo menos um tema inédito.
"Tivemos que recriar a música toda baseada nas cassetes que ele deixou com os ensaios e as composições. Voltámos a recriar esses arranjos e como não tínhamos a voz do António limpa, o ator vai cantar essas canções”, afirmou o realizador.
Com produção de Fernando Vendrell, "Variações" só deverá chegar aos cinemas em 2019.
Fonte: 24.sapo
Enviar um comentário