A doce Lúcia Moniz

A doce Lúcia Moniz

Histórias de uma vida multifacetada




O ciclo "Conta-me Histórias" trouxe Lúcia Moniz a Gaia para mais uma conversa-concerto que superlotou o Cine Teatro Eduardo Brazão. Em ambiente descontraído e intimista, a cantora, compositora e actriz contou histórias da sua vida e revelou as etapas mais significativas da sua carreira.

De sorriso fácil e doce como o de sua mãe, Lúcia Moniz partilhou algumas músicas de sua autoria e interagiu com o público de forma muito estreita e emotiva. Associou a sua paixão pela música a uma "corrente genética", herdada de seus pais, José Alberto Moniz e Maria do Amparo.

A carreira da cantora iniciou aos 19 anos, com a sua participação no Festival da Canção, a convite do maestro e compositor Pedro Osório. Triunfou. Foi a canção portuguesa com melhor classificação no Festival da Eurovisão.

O mundo da representação abriu-se a partir de um casting para a telenovela "Grande Aposta" e, desde então, são numerosas as interpretações em produções nacionais para televisão.

No cinema, o ponto alto da sua carreira está associado ao momento em que contracenou com Colin Firth, no filme produzido em 2003, "Love Actually" (O amor acontece), uma comédia romântica realizada pelo britânico Richard Curtis. Lúcia Moniz interpreta o papel de Aurélia, uma empregada portuguesa emigrada em França, que viverá um romance com um escritor que se refugia naquele país para curar feridas de amor.

Ao longo da noite, Lúcia Moniz interpretou várias canções conhecidas do público, como "Dizer que não" e "Olha lá", esta última originalmente em dueto com João Só. "Fio de luz", o seu último disco, assinalou um desfecho fortemente aplaudido e serviu de mote para uma mensagem de esperança aos jovens portugueses.

Fonte:Gaia Global
Enviar um comentário